Turismo na Amazônia: Macapá, a capital na linha do equador


  • HISTÓRICO E ECONOMIA:
Macapá é a capital do Estado do Amapá. Limita-se ao norte com os municípios de Ferreira Gomes, Cutias e Itaubal, ao sul com o município de Santana, a oeste com o município de Porto Grande. Ocupa uma área de 6.563 km2, com altitude de 14,40 m acima do nível do mar.
Macapá é a única capital brasileira banhada pelas águas do rio amazonas, localizando-se na sua foz à margem esquerda.
Antes de se chamar Macapá, a cidade recebeu em 1544 o nome de Adelanto de Neuva Andaluzia, por ordem do rei da Espanha Carlos V, numa concessão ao navegador espanhol Francisco Orellana. Do século XVI a primeira metade do século XVIII, passaram pela região ingleses, franceses, holandesdes e portugueses, porém, nenhum deles fixou-se definitivamente para o povoamento do lugar. Somente em 1748, o rei de Portugal, D. João V criou a província de Tucujus compreendendo as àreas de Macapá, Mazagão e a cidade do Amapá. O povoamento definitivo só veio a acontecer por volta de 1751, quando Mendonça Furtado trouxe os primeiros colonos oriundos dos Açores. Foi o próprio, que mais tarde teve a incumbência de fundar o antigo povoado da vila de São José de Macapá.
Em 1943, Macapá foi elevada a categoria de capital do então território Federal do Amapá e em 1988 com a criação do Estado do Amapá, a cidade passou a ser considerada a capital do Estado.
Em 1991, através da lei nº 8.387, e sancionada pelo Decreto nº 517 de 08/05/92, a cidade de Macapá foi considerada como Área de Livre Comércio de Produtos Importados, tendo como objetivo de promover o desenvolvimento da região e incrementar as relações bi-laterais com os países vizinhos.
  • ATRATIVOS TURÍSTICOS NATURAIS:
Macapá é banhada pelas águas do rio Amazonas, que nasce no rio Lauricocha, no Peru e percorre mais de 5.000 km até alcançar sua foz, recebendo em toda sua extensão mais de 1.000 afluentes, formando a maior bacia hidrográfica do mundo. É o maior rio do mundo em volume de água e o segundo em comprimento depois do Nilo.
Macapá, que fica localizado em sua foz, à margem esquerda, tem o privilégio de ser a única capital brasileira banhada pelas águas deste imponente atrativo natural. Um tour pelo maior rio do mundo é sempre uma aventura inesquecível, apresentando logo á sua frente a maravilhosa vista do canal norte e suas numerosas ilhas, formando em seu fluxo perene praias fluviais, além de poder conferir como vive o amazônico típico, em suas palafitas sobre as àguas.
A mais importante é a lagoa dos Índios que localiza-se no km 03 da rodovia Duque de Caxias (Macapá/Santana), apresentando um dos mais belos panoramas da cidade, oferecendo aos visitantes uma amostra da vegetação aquática e campos que na maioria do tempo são alagados e verdes, propiciando o aparecimento de garças brancas que fazem um belo contraste. Local ideal e magnifico para fotográfias.
Distante a 74 km de Macapá, o lago Ambé localiza-se na região das pedreiras. É uma região constituída por campos, lagos e igarapés, que juntamente com a fauna e a flora da Amazônia, formam um quadro paisagístico de beleza impar. O lago é bastante visitado pelos aficcionados pela pesca, além de proporcionar banhos refrescantes nas águas frias e um contato direto com a natureza.
Outro destaque é o lago do Curiaú, onde a fauna Amazônica, como garças e outros passáros são vistos tranquilo sobre o imenso relvado que o lago transforma no período de estiagem, onde nuanças verdes contrasta com os búfalos das fazendas próximas.
No rio Amazonas destaca-se as praias: Fazendinha distante cerca de 13 km de Macapá, onde se pode saborear o camarão regional e práticar esportes naúticos como jet-skis, caiaques e passeio de voadeiras. Outra praia e a do Araxá que localiza-se no perímetro urbano da cidade.
ATRATIVOS HISTÓRICO E CULTURAL:

IGREJA DE SÃO JOSÉ DE MACAPÁ

É o monumento mais antigo da cidade, sua construção data do século XVIII. Foi inaugurada em 1671 com a presença de Dom Frei Miguel de Bulhões, Menbro da Companhia de Jesus, ordem religiosa que iniciou a catequese na Amazônia. Seu interior é todo pintado em branco, o estilo arquitetônico é o inaciano. A igreja leva o nome do padroeiro da cidade de Macapá.

FORTALEZA DE SÃO JOSÉ DE MACAPÁ

É considerada o mais belo, o mais sólido e o mais importante monumento militar do Brasil no período colonial. Sua construção foi iniciada em 1764 e inaugurada em 1782, no dia de São José. A construção levou 18 anos para sua conclusão, o qual se deve ao braço negro e em menor escala ao elemento indígena que enfretaram a tarefa penosa e delicada para erguer este marco que é hoje uma sombra luminosa do passado remoto de bravura do lusitano. Sua arquitetura com forte influência francesa, contava com um moderno sistema de defesa o qual permitia o tiro de canhão a flor do solo. Foi construída para evitar incursões estrangeiras e assegurar a conquista definitiva da Amazônia para os colonizadores portugueses. Edificada em estilo Vauban, a 18 metros acima do nível do mar, possue em seu interior, paiol de pólvora, hospital, praça de armas, capela e quartinas. Numa visão aérea lembra uma estrela, formato este proporcionado pelos quatros baluartes ( São José, Nossa Senhora da Conceição, São Pedro e Madre de Deus) e o revelim.
O monumento é tombado pelo SPHAN e atualmente está sendo restaurado pelo ministério da Cultura e governo do Estado.

MUSEU VALDEMIRO DE OLIVEIRA GOMES

Criado pelo governo estadual, o museu abriga vasto acervo distribuido em galerias, sobre as pesquisas e os objetos pessoais do seu fundador Valdemiro de Oliveira Gomes, produtos da flora medicinal da Amazônia, a cultura indígena, composta de armamento, indumentárias e peças, coleção de sementes, produção de mudas, carpoteca (coleção de frutas) e laboratório de fitoterapia, tinturas homeopáticas e vegetais.

VILA DO CURIAÚ

É um povoado habitado por remanescente de escravos, que ali, originalmente formaram um quilombo para refugiarem-se dos maus tratos a que eram forçados na época da construção da bicentenária Fortaleza de São José de Macapá. Nos dias atuais a comunidade negra é preservada por seus descendentes, mantendo os mesmos costumes e tradições de seus antepassados africanos. Destacando-se pela produção da farinha de mandioca e pelas manifestações folclóricas e do batuque.

MUSEU HISTÓRICO JOAQUIM CAETANO DA SILVA

Construído em 1895 na administração do intendente Coronel Coriolano Jucá. A construção é um vestígio da arquitetura de porte monumental e edificação tipo Palácio utilizada para fins administrativos, apresentando características marcantes do período neoclássico. Após a restauração, o prédio foi adaptado museologicamente para funcionar como Museu Histórico do Amapá, possuindo um acervo composto de peças arqueológicas de cerâmica, peças históricas e indígenas, caracterizando o período da pré-história e história do Amapá.

MUSEU ÂNGELO MOREIRA DA COSTA LIMA

Localizado no km 10 da rodovia Juscelino Kubitscheck, contendo um acervo variado da fauna e flora amapaense com peças em coleções seriadas para estudos e exposição. Desenvolve pesquisas e estudos nas àreas de zoologia, botânica e geologia.

PARQUE ZOOBOTÂNICO

O parque compõe-se de um agradável recanto da natureza amazônica, com amostras de espécimes da fauna e flora regional, tendo, inclusive animais de grande porte em cativeiro e exposição.

TEATRO DAS BACABEIRAS

O teatro das Bacabeiras foi inaugurado em 1990, sob a denominação de Cine Teatro de Macapá, e em 1992 passou a chamar-se Teatro das Bacabeiras. Caracteriza-se pela arquitetura moderna, atribuindo-lhe especial destaque no patrimônio arquitetônico da cidade. Destina-se primordialmente a promover eventos nos gêneros artístico-culturais ligadas à música, dança, teatro, cinema, literatura e comunicação.
  • ARQUITETURA:
MARCO ZERO DO EQUADOR

Monumento construído para registrar a evidência geográfica da linha do equador, apresentando um obelisco representado por um relógio de sol. Está localizado a 2 km do centro da cidade e por estar posicionado estrategicamente entre os hemisfério norte e sul, permite que o visitante esteja simultaneamente nos dois hemisférios.

SAMBODROMO

O sambodromo é um centro de cultura e lazer, que durante o período escolar funciona como núcleo educacional. É utilizado também para apresentação de festas populares como o marabaixo, batuque, boi bumbá, quadrilhas juninas e desfiles cívicos.
Como o próprio nome indica, o sambodromo foi projetado para atender com maior segurança, conforto e qualidade o desfile das escolas de samba de Macapá, onde no período, há uma demanda significativa de turistas na cidade.

COMPLEXO BEIRA RIO

É o mais novo cartão postal da cidade, composto pela Praça Abdallah Houat e diversos quiosques de alimentação a poucos metros do rio Amazonas, oferecendo área de mezanino e passarela a céu aberto, com pista de patins e de cooper, playground infantil e espaço livre para o lazer.

  • EVENTOS E FESTAS
FESTA DE SÃO JOSÉ DE MACAPÁ

Festa em homenagem ao padroeiro da cidade de Macapá. Consta de arraial e parque de diversão. Durante as festividade ocorre a procissão que pela beleza e simplicidade da fé, já se constitui em grande atração. É comemorado na 2ª quinzena de março.

CÍRIO DE NAZARÉ

Festejo em louvor a virgem de Nazaré, com a realização da procissão no 2º Domingo de outubro por diversos bairros da cidade, novenas, missas e o arraial em louvor a santa.

FESTA DE SÃO JOAQUIM

A Festa de São Joaquim é realizada de 09 a 19 de agosto e tem características religiosas e profanas. As ladainhas, a procissão e a folia retratam com profundidade a devoção e a fé que os habitantes do Curiaú tem para com seus santos.

MARABAIXO

É um ritual de origem africana, que se realiza durante as comemorações da Semana Santa, a partir do Domingo de Páscoa, prolongando-se por cerca de 64 dias. A dança e o canto do Marabaixo constituem o lado profano das festividades em homenagem a Santíssima Trindade e ao Divino Espirito Santo. Ao som de caixas(tambores) rusticamente confecçionadas, os participantes, na sua maioria negros e mulatos de idades variadas, dançam ao redor dos tocadores respondendo em coro “o ladrão”, tirado por um cantor ou cantora.

BATUQUE

O Batuque é uma das danças manifestações de dança, mais expressiva do Amapá, tem suas raízes ligadas a cultura africana. Dança-se normalmente em louvor aos santos de predileção das comunidades, o Batuque é dançado ao som de dois tambores chamados “macacos” e de pandeiros. Os batuqueiros tocam os tambores sentado sobre estes que ficam superpostos num tarugo de acajú. Os cantores e tocadores de pandeiro e tocadores ficam junto no centro do salão, enquanto os dançadores fazem rápidas evoluções sobre si e ao redor dos batuqueiros, sempre no sentido inverso aos dos ponteiros do relógio. As mulheres com suas saias abaixo do joelho, rodadas e coloridas, tomam conta do salão quando fazem evoluções. Os gritos e a queda de corpo dos homens também dão ao espetáculo um movimento ímpar de dança típica do folclore do Amapá.

FESTA DE NOSSA SENHORA DA PIEDADE

Manifestação folclórica realizada aproxímadamente há 80 anos, e executada pelos moradores da Comunidade de Igarapé do Lago há 80 km de Macapá em homenagem a sua padroeira Nossa Senhora da Piedade.
Os festejos tem início no dia 24 de junho constando de ladainhas, novenas e festas, e no dia 02 de julho é apresentado o tradicional batuque e uma feira com venda de “produtos” agrícolas locais, encerrando os festejos.


__________________________________________________________
Disponível em: www.macapa-ap.com.br

2 comentários:

Michelle disse...

Excelente seu blog melhor impossivel.
muita informação, curiosidades e lugares ainda talvez desconhecidos.A estrutura física dele é otima tambem muito organizado,tem a cor mt legal e as reportagens principalmente maravilhosas!
Esta d Parabéns!!!!!!!!!!!

Lucas disse...

Concordo com o outro comentário. O que faz a grande diferença é que seu blog tem assunto interessante e não simples bobagens retratando a vida do cara ou imagens apelativas.
A galera tem q entrar e comentar no seu blog gostei muito!valeu!
Lucas