Animais Incríveis: A População de formigas

As formigas, em especial as saúvas têm despertado interesse cientifico nos últimos anos. Sabe-se, antes de mais, nada, que elas tiram sua força da quantidade: estima-se que as formigas de uma maneira geral sejam 10 quatriliões em todo mundo (só não vive nos pólos). Edward Wilson um geneticista americano da Universidade de Harvard acrescenta que elas são mais numerosas que o conjunto dos vertebrados terrestres, isto é, todos os mamíferos, aves, répteis e anfíbios juntos. Assim, embora cada uma pese 1milionésimo do peso do homem, a massa viva de todos os formigueiros alcança 1 milhão de toneladas – a humanidade é apenas 300 vezes mais pesada. Abelhas e vespas, embora sejam relativamente menos abundantes, ampliam de maneira considerável a população de himenópteros (a ordem que pertence também as formigas).

Mas o que tornou esses animais tão numerosos? A resposta, dizem os entomologistas ( especialistas em insetos), está numa espécie de inteligência que não funciona no cérebro, mas em todo o organismo desses seres. Acima de tudo, sua sagacidade transparece na vida em sociedade: entre milhões de espécies classificadas na categoria dos insetos, apenas eles e os cupins desenvolveram esse método de dividir tarefas e multiplicar a eficiência do trabalho. Em suas comunidades, as fêmeas operárias (estéreis) e os machos servem apenas para inseminar a rainha, única fêmea fértil.

Formigas saúvas trabalhadoras incansáveis: em todo o planeta,
elas carregam folhas para manter vivos os formigueiros, numa
divisão de tarefas de fazer inveja a qualquer um.

Chamam-se “eussociais” os seres que praticam tal forma de matriarcado, que foi decisiva no processo evolutivo: só 5% de todas as espécies de abelhas, por exemplo, têm comportamento social, mas elas superam largamente em numero as 95% restantes. Chega-se a dizer que colméias e formigueiros não são simples ninhos – são um ser vivo em si mesmo. As colméias abrigam em média 50 mil moradores, mas os sauveiros podem reunir mais de 5 milhões de habitantes. Em cada um deles, túneis estreitos interligam dezenas de “panelas” – os locais onde as saúvas vivem. São ocos subterrâneos geralmente com meio metro de altura, usados para diversas funções: de lixeiras comunitárias e cemitérios até berçários onde a rainha deposita ovos. No final, a construção equivale a um prédio de três andares enterrado a 10 metros de profundidade. A maior panela é a de cultivo, na qual as folhas que chegam do exterior são dispostas com cuidado e adubadas com hormônio fertilizante, excretado pela rainha, de nome ácido indolil-acético.
Castas de um sauveiro
Uma casta inteira de saúvas, as chamadas jardineiras, com 2 milímetros de comprimento, nuca sai do formigueiro. Elas existem para cuidar do fungo, o que inclui cortar ervas daninhas. As cortadeiras, que trazem as folhas, têm 5 milímetros e labutam no mundo externo sob a proteção dos soldados, com 1,5 centímetro.

Um sauveiro leva mais de 100 dias para nascer, mas seu fim ocorre com o fim do estoque de ovos e a morte da rainha, geralmente aos 15 anos de idade. Nesse período, o sauveiro corta nada menos que 8 toneladas de folhas por ano – o suficiente para alimentar três boi.

Ninho de saúva
_________________________________________________
Fonte: Revista bichos,ed. especial da Super Interessante

1 comentários:

Deibson disse...

Boa noite seu blog esta otimo gostaria de fazer troca de links acesse um dos nossos 26 blogs www.busqueblog.com SUCESSO