Turismo na Amazônia: Rio Branco


HISTÓRICO:
Rio Branco, capital do Acre, é a maior e mais populosa cidade acreana, concentrando mais da metade da população total do Estado. Além disso, foi uma das primeiras cidades a surgir nas margens do Rio Acre. Conta a história que, em fins de 1882, numa pronunciada volta do rio Acre, uma frondosa árvore, a Gameleira, chamou a atenção de exploradores que subiam o rio e levou-os a abrir novos seringais ali mesmo. O povoado chamado “Volta da Empreza” logo revelou-se mais movimentado do que um simples seringal pela abertura de pontos comerciais para o abastecimento das embarcações a vapor que subiam o rio no transporte do ouro negro (a borracha).
Anos depois, a mesma Gameleira seria testemunha dos combates travados na Volta da Empreza entre revolucionários acreanos e tropas bolivianas durante o crítico período da Revolução Acreana que tornou o Acre parte do Brasil no início deste século.
Com o Tratado de Petrópolis e a criação do Território Federal do Acre, a agora chamada “Villa Rio Branco”, afirmou-se como o principal centro urbano de todo o vale do Acre, o mais rico e produtivo do território. Tanto assim, que a partir de 1920, a cidade de Rio Branco assumiu a condição de capital do Território e depois do Estado.
Durante todos esses acontecimentos, a rua surgida da Gameleira, na margem direita do rio Acre, era o centro da vida comercial e urbana dessa parte da Amazônia. Ali se situavam os bares, cafés e cassinos que movimentavam a vida noturna da cidade, ali se encontravam os principais representantes comerciais das casas aviadoras nacionais e estrangeiras que movimentavam milhares de contos de réis naquela época de riqueza e fausto, ali moravam as principais famílias da elite urbana composta por profissionais liberais e pelo funcionalismo público.

O Monumento ao Centenário da Revolução Acreana e a Gameleira

Com o passar do tempo a administração política do Território foi sendo transferida para a margem esquerda do rio Acre, com terras mais altas e não inundáveis. Ainda assim as ruas que integravam o centro da cidade formada pelas ruas Cunha Matos, 17 de novembro e 24 de janeiro permaneciam sendo a principal área comercial da cidade, paulatinamente dominada pelos imigrantes sirio-libaneses, a ponto de em meados da década de 30 ser também conhecida como “Bairro Beirute”.
Porém, a partir da década de 50, teve início um pronunciado processo de decadência econômica da histórica margem direita de Rio Branco, que passou a ser chamado de 2o Distrito. Isso resultou da transferência de boa parte de suas principais casas comerciais para o 1o Distrito da cidade, na margem esquerda do rio Acre, onde já estavam instaladas as principais repartições publicas e as residências das mais importantes famílias do território.
De lá para cá, o ritmo de degradação urbana, social e econômica dessa área só fez aumentar e chegou ao seu ponto máximo com o desbarrancamento provocado pela grande alagação de 1997.

GEOGRAFIA:
A cidade é dividida em dois distritos pelo rio Acre.
• Altitude: 136 metros
• Área: 9.233 km2
• População: 314.127 habitantes, em 1 de Julho de 2006 (est. IBGE)
O município localiza-se na microrregião de Rio Branco, mesorregião do Vale do Acre. Limita-se ao norte com os municípios de Bujari e Porto Acre e com o Amazonas, ao sul com os municípios de Xapuri e Capixaba, a leste com o município de Senador Guiomard e a oeste com o município de Sena Madureira.
Clima: A cidade é a que possui a menor média de temperatura anual dentre as capitais da região norte. O clima é equatorial e varia de 10°C a 38° em dias mais quentes do ano,lembrando que está em uma altitude de 132m, as noites sempre atige a menor temperatura podendo chegar nas madrugadas á 22°c. Em julho a agosto é a época mais quente do ano, chegando a 38°c, também com muita fumaça devido as queimadas de pasto que acaba prejudicando a saúde de muitas pessoas. Geralmente entre maio e agosto a cidade sofre o fenômeno da friagem, chegando até temperaturas muito baixas para a região, geralmente 15ºC.

População devidamente vestida para o frio, em um dia de 16 ºC

Hidrografia: O principal rio da rede de drenagem do município de Rio Branco é o Rio Acre, que apresenta uma hierarquização fluvial relativamente homogênea, predominando na maior parte das sub-bacias um grande números de canais de primeira ordem, alguns destes chegam mesmo a secar na época de estiagem, sendo ocasionado ora pela baixa pluviosidade nos meses de junho a agosto, ora pelo desmatamento ao longo destes canais, pois secam em função da quebra do seu equilíbrio natural.
A área da bacia de drenagem do Rio Acre em sua totalidade é de aproximadamente 609,15 km2 dos quais 287 km2 estão no município de Rio Branco compreendendo 14 sub-bacias de características dentríticas. O Rio Acre apresenta um perfil longitudinal complexo predominando o percurso meandrante, embora possua alguns trechos consideráveis de forma retilínea – os estirões, segundo conhecimento popular da região

Rio Acre ao entardecer

ATRAÇÕES TURÍSTICA:
• Casa do Seringueiro - av. Brasil, 216. Atendimento de segunda a sexta-feira das 8h às 17h. Documentos e fotos sobre o trabalho da extração do látex e da colheita da castanha. Veja a reprodução da casa do líder seringueiro Chico Mendes e seus objetos.
• Catedral de Nossa Senhora de Nazaré - praça da Catedral, s/n. De 1959, lembra uma basílica romana. Vitrais coloridos.
• Estação de Piscicultura - rodovia AC-040, km 5. Centro de reprodução de peixes regionais, como o tambaqui e o curimatã.
• Gameleira - av. Eduardo Assmar. Árvore centenária. Fica na "curva" do rio Acre, onde a cidade nasceu. Após uma grande reforma, o local hoje possui casarões antigos restaurados, bares, etc. Tem uma vista privilegiada do Rio Acre e de parte da cidade.

A Gameleira é palco para grandes festas em Rio Branco às margens do Rio Acre

• Horto Florestal - Av. Antônio da Rocha Viana, s/n. Espécies da floresta amazônica, lago para passeios de barco e trilhas.
• Igrejinha de Ferro - rua Colômbia, no 4º Batalhão do Exército.. A capela é feita de chapas de ferro pré-fabricadas na Alemanha.
• Memorial dos Autonomistas - av. Getúlio Vargas. Possui um museu sobre a aquisição do Acre pelo Brasil, exposições de quadros de pintores regionais, acervo digital de fotos do Acre, além disso também possui um café e um teatro.

Memorial dos Autonomistas

• Praça da Revolução- Antigamente chamada de praça Plácido de Castro ou Rodrigues Alves, localizada em frente à sede da prefeitura, passou por uma reconstrução recente. É palco das principais manifestações artísticas e culturais da cidade.

A Praça da Revolução

• Praça Eurico Dutra - É a segunda principal praça da cidade, localizada entre as ruas Getúlio Vargas e Arlindo Porto Leal. Na praça se localizam as sedes dos poderes executivos e legislativos.
• Mercado Velho - Localizado na margem esquerda do Rio Acre, foi construído na Década de 20 na gestão do então governador do território, Hugo Carneiro, foi uma das principais construções em alvenaria da época. Foi revitalizado recentemente e hoje abriga bazares e lojas de artesanato.
O Mercado Velho foi revitalizado e reinaugurado em 2006

Visão noturna do Mercado Velho

• Museu da Borracha - avenida Ceará, 1.177. Objetos de borracha -brinquedos, botas, bolsas, etc. - e fósseis pré-históricos.
• Palácio Rio Branco - praça Eurico Gaspar Dutra, s/n. De 1930, tem colunas jônicas da fachada. Sede do governo. Reinaugurado em 2002 após reforma.

Palácio do Governo

• Parque da Maternidade - parque que se estende por mais de 6km, e passa por uma região central da cidade. Possui quadras de esportes, quiosques, restaurantes, ciclovia, pistas de skate, etc.
• Parque Tucumã - com um estilo similar ao do Parque da Maternidade, está inserido numa região entre os bairros Tucumã e Universitário.
• Passarela Joaquim Macedo - ponte de pedestres que liga os dois distritos da cidade cortados pelo Rio Acre
• Casa do Artesão - Localizada no Parque da Maternidade, no bloco 2-Setor A, é um dos principais locais que vendem artesanato regional.
• Sociedade recreativa Tentâmen- Localizada na rua 24 de Janeiro, nº239 no segundo distrito da cidade, foi fundada em 11 de abril de 1924 por um grupo liderado pelo dr. Mário de Oliveira, afim de proporcionar entretenimento aos seringalistas. Hoje são realizadas exposições de objetos da cultura acreana.
Sociedade recreativa Tentâmen.

• Quartel da Polícia militar- Foi construído na década de 20 para ser a antiga guarda territorial do Acre, hoje se destaca como uma das construções mais antigas do centro da cidade.

Fonte de Pesquisa:
Prefeitura de Rio Branco - www.pmrb.ac.gov.br
Enciclopédia Wikipedia - http://pt.wikipedia.org/wiki/Rio_Branco_(Acre)

1 comentários:

Anônimo disse...

Существует такое что [url=http://seobabai.ru/progon-sajta-obyavleniya-reklamy]прогон статьями[/url] может значительно поднять свой доход в интернете