Escócia terá a maior usina de energia de ondas do mundo

Sustentabilidade & Energia


 http://4.bp.blogspot.com/-RVY7O-nQAJs/TekOG-6b3AI/AAAAAAAAHEI/wLDURrO0iH8/s320/3_hidroeletrica.jpg
Já desde 2013 que o governo escocês anunciou a construção  da maior usina de ondas do mundo, de 40 megawatts, suficiente para abastecer uma cidade com 30 mil casas.

A companhia Aquamarine Power responsável pelo projeto pretende instalar de 40 a 50 dispositivos conhecidos como “Oyster” ou ostra em português na costa de Lag ne Greine. . A estrutura deve ser instalada a, aproximadamente, meio quilômetro da costa e será flutuante, ao mesmo tempo em que está conectada a sensores instalados em profundidade que vai de 10 a 15 metros.

Mais afinal o que é a energia das ondas? É fácil confundir a energia das ondas, com a energia das marés, que é uma forma de energia hidrelétrica. Energia das ondas é previsível, uma vez que se baseia nos mares naturais da terra. Isto é mais fácil de prever do que a energia eólica e a energia solar.

A energia cinética do movimento ondular pode ser usada para pôr uma turbina a funcionar. A elevação da onda numa câmara de ar provoca a saída do ar lá contido; o movimento do ar pode fazer girar uma turbina. A energia mecânica da turbina é transformada em energia elétrica através do gerador. Quando a onda se desfaz e a água recua o ar desloca-se em sentido contrário passando novamente pela turbina entrando na câmara por comportas especiais normalmente fechadas.

Esta é apenas uma das formas de retirar energia da ondas. Atualmente, utiliza-se o movimento de subida/descida do onda para dar potência a um êmbolo que se move para cima e para baixo num cilindro. O êmbolo pode por um gerador a funcionar. Existem três maneiras diferentes para sua obtenção, classificando-se de acordo com o local onde o mecanismo de aproveitamento é instalado. Você pode conferir todos os sistemas e como funcionam no Portal das Energias Renováveis clicando aqui.

Os sistemas para retirar energia das ondas são muito pequenos e apenas suficientes para iluminar uma casa ou algumas bóias de aviso por vezes colocadas no mar.

As principais desvantagens das energias das ondas são os custos de instalação que são bastante elevados; só é produzida energia enquanto existir um desnível entre os níveis de água que se encontram nas partes superior e inferior do muro da barragem;
só podem ser instaladas centrais para a produção de eletricidade a partir desta energia em locais que respondam às necessidades geomorfológicas necessárias para a mesma e que possuam um  desnível entre marés bastante elevado (cerca de 5,5m);
No caso da Escócia, para que a proposta da maior usina de ondas se concretize ainda é necessário melhorar a infraestrutura das redes de transmissão, que deve acontecer somente em 2017. 
Referências: 
  • LUNA, D. Folha de São Paulo: Brasil quer gerar energia elétrica a partir das ondas do mar. Disponível em: < http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/11/1372423-brasil-quer-gerar-energia-eletrica-a-partir-das-ondas-do-mar.shtml. > Acesso em 06 de janeiro de 2015.
  • CRUZ, G. Energia Hidrocinética: Gerando eletricidade nas ondas do mar. Ciências e Tecnologia. Disponível em: https://cienciasetecnologia.com/eletricidade-energia-ondas-mar/ . Acesso em: 06 de janeiro de 2015.
  • ._________ Portal Energia- Energias Renováveis. Disponível em: .> Acesso em 06 de janeiro de 2015.
  • MELLO, L.L. PUCPR: NIS – Núcleo Interdisciplinar de Sustentabilidade. Disponível em: http://www.portal-energia.com Acesso em: 06 de janeiro de 2015.

0 comentários: