O problema da erosão eólica

SOS Planeta Terra


http://images.nationalgeographic.com/wpf/media-live/photos/000/011/cache/sandstone-swirls_1180_600x450.jpg
Erosão eólica em uma área na fronteira de Utah-Arizona nos EUA.
  A erosão eólica, ocasionada pelos ventos, ocorre em geral em regiões planas, de pouca chuva, onde a vegetação natural é escassa e sopram ventos fortes. Constitui problema sério quando a vegetação natural é removida ou reduzida; os animais, insetos, moléstias e o próprio homem contribuem para essa remoção ou redução. As terras ficam sujeitas a erosão pelo vento quando deveriam estar com a vegetação natural e são colocadas em cultivo com um manejo inadequado (BERTONI, 1985).

A perda de solo por erosão eólica envolve dois processos: desprendimento e transporte das partículas. O vento agita as partículas soltas de solo e, a seguir, as levanta, desprendendo-as dos agregados de solo. Essas partículas são, então, transportadas de diferentes formas, dependendo do seu tamanho e da velocidade do vento. Partículas pequenas que saltam pela superfície, até 30 cm de altura, são transportadas por um processo chamado saltitação. Na maioria das condições, esse fator é responsável por 50-70% do movimento do solo pelo vento. O impacto das partículas que saltam faz com que as maiores rolem e deslizem ao longo da superfície provocando o arraste do solo, sendo responsável por 5-25% do seu movimento. A turbulência do vento pode carregar nuvens dessas partículas aéreas diversos quilômetros para cima, na atmosfera, e por centenas de quilômetros de distancia para, finalmente, serem depositadas ou lavadas do ar. (GLIESSMAN, 2000).

Os grãos de areia podem ser levados a distâncias enormes por suspensão e já se constatou a presença de areias provenientes da África na Amazônia brasileira. A suspensão forma grandes depósitos arenosos, chamados de loess, e é responsável também pelas tempestades de areia.

A erosão eólica se reveste de maior importância nessas regiões em que a vegetação é insuficiente para cobrir e proteger o solo, ou nas regiões áridas, nas margens arenosas de oceanos, lagos e rios, e em solos de origem arenítica. O teor de umidade do solo é um fator limitante da intensidade com que a erosão eólica pode ocorrer (RIO GRANDE DO SUL, 1985).

Em geral, a terra é, não só despojada do seu solo mais rico, como as culturas são impelidas para longe ou deixadas com as raízes expostas ou ainda poderão ser cobertas pelos detritos em movimento. Embora não seja tão grande a velocidade, os efeitos de corte e de abrasão, sobretudo da areia, são desastrosos sobre culturas tenras. A maioria dos prejuízos estão confinados em regiões de baixa precipitação, porém existe ocorrência em regiões úmidas. A movimentação das dunas de areia constitui um bom exemplo (BRADY, 1989).
http://www.ars.usda.gov/images/docs/18371_18566/Wind%20Erosion%20Map%20of%20US%20for%20The%20Problem%20of%20Wind%20Erosion%20webpage%20SZ%20315.jpg

Mapa dos EUA , em vermelho áreas com erosão eólica
 A Erosão eólica no mundo - A erosão eólica é uma séria ameaça para a segurança alimentar e contribui para a degradação de uma agricultura sustentável nos Estados Unidos e em todo o mundo. Durante a década de 1930, uma seca prolongada culminou em tempestades de poeira e destruição do solo de proporções desastrosas nos EUA, e isso ainda é um dos exemplos mais visíveis do impacto físico do vento sobre a agricultura e a perda do solo. Nos Estados Unidos, a erosão do vento é o problema dominante em cerca de 30 milhões de hectares  e moderadamente grave, de aproximadamente 2 milhões de hectares anualmente (USDA, 1965). De acordo com o National Resources Inventory (NRI, 1992), a perda de solo anual estimado da erosão do vento sobre as terras rurais nos Estados Unidos foi de 2,5 toneladas por hectare por ano (SCS-USDA, 1994).O problema atinge uma grande parte desta nação, como mostra na figura acima(mapa dos EUA).A erosão eólica é também um problema grave em solos cultivados orgânicos, áreas arenosas costeiras, solos aluviais ao longo fundo dos rios e outras áreas nos Estados Unidos.
Além disso, as tempestades de areia afetam a qualidade do ar e da poeira do ar tem significância na economia, saúde, ecológico, e nos impactos hidrológicos em varias regiões.
A erosão do solo pelo vento é pior nas regiões áridas e semi-áridas. Áreas mais suscetíveis à erosão do vento em terras agrícolas incluem grande parte do norte da África e no Oriente Médio; partes do sul, central, e leste da Ásia; às planícies da Sibéria; Austrália; noroeste da China; América do Sul; e América do Norte.
No Brasil, as regiões mais famosas estão nos estados do Ceará e Santa Catarina. Esse tipo de erosão, se provocada por um grande período de tempo, pode modificar completamente o cenário natural.

 Referências:
BERTONI, J.;LOMBARDI NETO, F.; Conservação do solo. Piracicaba, São Paulo: Livroceres, 1985.392 p.
BRADY, N.C.; Natureza e propriedades dos solos. 7. ed. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1989. 878 p.

GLIESSMAN, S.R.; Agroecologia: Processos Ecológicos em Agricultura Sustentável. 3 ed. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2005.

MARAVILHAS Naturais do Mundo. Lisboa, Seleções do Reader’s Digest, 1980. 455 p. il. p. 171, 309 e 389.

RIO GRANDE DO SUL.; Secretaria da Agricultura. Manual de conservação do solo e água: uso adequado e preservação dos recursos naturais renováveis. 3. ed. atualizada. Porto Alegre, 1985. 287 p. 
SCS-USDA. 1994. Summary Report. National Resources Inventory. Washington, D.C. 54 pp.
.______ The problem of Wind Erosion. Disponível em:<http://www.weru.ksu.edu/new_weru/problem/problem.shtml> Acesso em: 10 de Jan. de 2015.

0 comentários: